Acessar AVA Forums 3º Fórum de Prática Ministerial Gestão de Igrejas Responder a: Gestão de Igrejas

  • GUSTAVO

    Member
    08/05/2024 a 22:23

    Em uma abordagem descritiva discursiva, apresente sua apreensão abordando os seguintes conceitos:

    • O Estado da Arte: O Estado da Arte é um método que busca apresentar o panorama sobre determinado tema por meio de produções acadêmicas, como artigos, dissertações e teses. Dentre os diversos objetivos a serem alcançados por meio desse método, além da obtenção de resultados quantitativos, está a compreensão dos limites de determinado tema para que se possa avançar em novas pesquisas sobre ele, em busca de avanço científico.
    • Definição de gestão e gestão eclesiástica: De maneira simplificada e resumida, a palavra “gestão”, significa administração. A gestão é algo imprescindível em qualquer organização humana, tendo como função adequar e readequar ações de acordo com uma ética, metas, valores e missões. Dessa mesma maneira, a gestão eclesiástica existe, no entanto, tendo como ética a Bíblia e contando, principalmente, com a direção de Deus para adequar e readequar propósito, metas, ações e missões, considerando e direcionando também as pessoas envolvidas na mesma direção.
    • O papel do gestor cristão: Para que se depreenda conceitos sobre o gestor cristão, pode-se ter como referência as narrativas de personagens bíblicos como, José do Egito, Neemias, Davi, Salomão, dentre outros em que se pode perceber exemplos de diferentes tipos de gestão, tendo como base a ética cristã e a submissão constante a Deus. É importante ressaltar que Jesus não fazia parte do clero de sua época e, mesmo assim, direcionou o serviço da casa de Deus conforme as interpretações bíblicas. De outra maneira, sua liderança demonstra quais devem ser as prioridades de um gestor cristão da época e em qualquer tempo.
    • A igreja como entidade do terceiro setor: Ainda na perspectiva do agir de Jesus, a igreja precisa saber que também faz parte do sistema legal deste mundo e que, por isso, possui obrigações com o Estado. Por ele, a igreja se inclui no terceiro setor, em que estão inclusas outras organizações sem fins lucrativos com seus devidos direitos e deveres. É importante salientar que esse setor surge, justamente, como socorro a um Estado que não se basta.
    • Planejamento estratégico, sua implementação e controle: Mais uma vez, Jesus direciona a resposta,“Qual de vocês, se quiser <em style=”background-color: var(–bb-content-background-color); font-family: inherit; font-size: inherit; color: var(–bb-body-text-color);”>construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?”(Lucas 14:28-30). O Planejamento, portanto, requer objetivos, valores e missão claros para que sejam delineados os passos, avaliados os resultados e repensadas as estratégias. O planejamento estratégico permite que aja maior grau de interação com o ambiente e consequentemente maior envolvimento do corpo eclesiástico para gerir e cumprir metas de curto, médio e longo prazos.