Responder a: Governo Eclesiásticos e Ordenação ao Ministério Pastoral

  • [email protected]

    Member
    19/04/2024 a 16:09

    Respostas- 1

    A Igreja Batista é uma igreja onde Jesus Cristo é o Senhor, o cabeça, só a Ele pertence o senhorio da Igreja. Diante deste entendimento posso dizer que Igreja Batista é uma igreja congregacional democrática. E porque democrática? A mesma entende que o pastor presidente tem o rebanho sob seus cuidados, mas entende também que este pastor não pode tomar decisões sozinhos acerca da condução da igreja. É de preciso salientar que nas igrejas Batista ocorrem as assembleias nas quais o corpo de Cristo, a saber a igreja, é quem toma as decisões e fazem ponderações e observações acerca do bom andamento da obra do Senhor.

    Temos que na igreja Batista os membros da igreja , conduzidos nas assembleias pelo pastor da igreja e diretoria, buscam em conjunto ou seja em um só corpo resolver questões pertinentes ao andamento da igreja , quanto a seu sustento, sua missão e os passos seguintes à serem dados.

    Temos que a Igreja Batista chama para se as responsabilidades de ser autônoma, autossustentável, e autoplocamavel. Vale ressalvar que mesmo que as lideranças eclesiásticas da igreja sendo o pastor e os diáconos, os demais membros são tão importantes nas decisões a serem tomadas na igreja quando estes.

    Enfim o modelo de governo da Igreja Batista busca trilhar pelo caminho da igreja primitiva , buscando viver aquele algo em comum vivido por aqueles irmãos. Por isso uma igreja congregacional democrática.

    2 – Não é de se adimirar que no presente século estaríamos vendo uma enxurrada de doutrinas e interesses se infiltrando nas igrejas. Pessoas não vocacionadas, despreparadas ou mau orientadas e discipuladas assumindo púlpitos de igrejas que deveriam professar sua fé tão somente a luz essência da palavra e do relacionamento com Senhor da Igreja Jesus Cristo.

    Sou membro de uma igreja Batista, e com muita alegria afirmo que acho muito importante e indispensável o que a muito tempo se necessário para se formar pastores para este ministério, uma palavra que assusta muitos seminarista o “Conscilio “. Este que põe sua vez qualifica ou desqualifica alguém a ser ordenado pastor Batista. Parece ser algo de homem , mas vejo como algo divino, pois em um Conscilio muitas são as observações e questionamentos que o candidato ao pastoreio enfrenta, afim de saber de fato este de fato é um vocacionado. E as vezes me pergunto Senhor se tenho um chamado pastoral me molda e aperfeiçoar desde já nas atividades de minha igreja, que eu seja o servo que ti queres.

    Diante dos artigos lidos acerca desta discussão, percebo que há sim pessoas vocacionadas, que não veem o pastoreio como uma profissão em se, mas como um chamado algo divino, não é porque um pastor e a igreja indicaram alguém a uma faculdade teológica , ao seminário quer dizer que este seja um vocacionado, mas uma coisa de fato se entende, ele é um servo, um discípulo que lapidado pode sim vir a ser um vocacionado, pois a grande comissão dsscrita na palavra ficou para cada um de nós que entendemos o chamado e a missão.

    E porque penso desta forma, além do que temos visto na caminhada cristã, alguns que um dia foram ordenados pastores largaram o cajado, descobriram o tamanho do gigante que é o pastoreio, e como podemos ver no material proposto a secularização da sociedade, o avanço de doutrinas confusas e um evangelho barato, tem sido o pesadelo de alguns pastores que talvez não entenderam a grandeza do chamado. Enfim entendo que por mais que os anos avancem a palavra de Deus continua a mesma, humano continuam sendo seres humanos, e o papel de um pastor vocacionado, devidamente ordenado primeiro por Deus e depois por um Conscilio de pastores que já passaram por experiências ministeriais, é manter a postura que Deus requer de um pastor. Que diante do secularismo e as mazelas deste mundo o pastor que foi ordenado tenha um relacionamento íntimo com Deus tão profundo que o habilite a enfrentar as dificuldades que surgem na trajetória pastoral, sobre tudo neste tempo.